[Cobertura] Odin’s Krieger Fest lota John Bull Pub para festa musical sobre Vikings e Piratas

Nenhum comentário

Odin’s Krieger Fest
show com Alestorm, Confraria da Costa e Captain Cornelius
John Bull Pub
Curitiba/PR
01 de dezembro de 2017

cobertura por Arianne Cordeiro e Alexandre Nowakowski
fotos por Arianne Cordeiro

Na última sexta-feira, rolou em Curitiba mais uma edição do Odin’s Krieger Fest, festival de música celta/viking que, desde 2011, tem se tornado referência para os fãs do estilo. Nesta edição, as bandas Captain Cornelius (Rio do Sul – SC), Confraria da Costa (Curitiba – PR) e Alestorm (Escócia), enfocaram a temática pirata, animando o público que lotava o local do evento como se fosse uma antiga taverna.

Aquecendo o público, os catarinenses da Captain Cornelius fizeram um set mais curto, cativando o público com um som pesado, misturado ao estilo clássico do folk europeu. Um dos pontos altos de seu show foi a execução de covers da banda Korpiklaani, admirada por grande parte do público do estilo, fazendo com que o público cantasse e interagisse muito com os membros da banda. Ao final, ficou a esperança de que a banda volte à cidade com um set maior, priorizando as músicas próprias e mostrando ainda mais o que tem a oferecer.

Já os curitibanos da Confraria da Costa mostraram que não brincam em serviço. Cantando sobre bebidas e temática pirata, fizeram um set com músicas próprias, agitando a casa, que cantava a maior parte de seus refrões simples e memoráveis. A banda mostrou o porquê de ser referência local no estilo, sendo muito aclamada por todos, demonstrando entrosamento entre seus integrantes, mesmo com um repertório mais enxuto.

Após o encerramento do segundo show, os técnicos de som da atração principal entraram em cena, tentando deixar tudo pronto o mais rápido possível. Infelizmente, ocorreram alguns problemas de som e o show, que estava previsto para iniciar às 23h, acabou atrasando por volta de 30 minutos. Apesar da tensão evidente da equipe, que tentava arrumar os detalhes para os astros escoceses, os fãs não se preocuparam e entoaram alguns clássicos do Queen tocados ao fundo, demonstrando que o atraso não diminuiu o seu ânimo de nenhuma forma.

Assim que a banda conseguiu entrar no palco, os fãs foram à loucura. Alguns, inclusive, atiraram bebidas no pequeno palco da casa, o que deixou o vocalista Christopher Bowes um pouco irritado, mas não chegou a atrapalhar o andamento das músicas. Mesmo num espaço muito pequeno e sem seu pato de borracha, os músicos desfilaram de um lado para o outro esbanjando simpatia e refletindo a alma jovial de seu estilo musical. Em seu extenso setlist, trouxeram várias conhecidas do público, dando maior destaque para as faixas de seu último álbum, No Grave But The Sea. Os fãs, que já haviam interagido com a banda na própria fila da casa de shows, entoaram todas as músicas e esquentaram ainda mais o ambiente com seus moshs e batidas de cabeça, acompanhando o ritmo dançante e despojado, típico do gênero.

Ao final, ficou o desejo de que as próximas edições sejam ainda mais divertidas e também ainda melhor organizadas, priorizando o conforto do público e dos músicos e enaltecendo ainda mais o estilo para o público paranaense.

REPERTÓRIO
Keelhauled
Alestorm
Magnetic North
Mexico
That Famous Ol’ Spiced
The Sunk’n Norwegian
No Grave but the Sea
Nancy the Tavern Wench
Rumpelkombo
1741 (The Battle of Cartagena)
Hangover (Taio Cruz cover)
Pegleg Potion
Bar ünd Imbiss
Captain Morgan’s Revenge
Shipwrecked

Drink
Wenches & Mead
Fucked With an Anchor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s