[Cobertura] Blackoustic em Porto Alegre: Clássicos de peso em formato acústico

2 comentários

Blackoustic
Teatro do SESC
Porto Alegre/RS
21 de abril de 2018

por Daiane Costa e Day Montenegro

Após sete anos de sua última apresentação na capital gaúcha com o Stratovarius, o vocalista Timo Kotipelto finalmente retorna à cidade, desta vez para encerrar a turnê brasileira de seu projeto Blackoustic, que conta ainda com a participação de Jani Liimatainen, ex-guitarrista do Sonata Arctica e seu parceiro no grupo Cain’s Offering. Atualmente Jani trabalha também no projeto The Dark Element, com a vocalista Anette Olzon (ex-Nightwish).

A apresentação bastante intimista aconteceu no último sábado, feriado de Tiradentes, no confortável teatro do SESC em Porto Alegre, o qual teve quase a totalidade de sua capacidade preenchida. Os fãs de Stratovarius e Sonata marcaram forte presença no local, vestindo camisetas de suas bandas preferidas e carregando encartes dos discos, com a esperança de conseguirem um autógrafo dos ídolos finlandeses. Segundo Kotipelto, o álbum Blackoustic surgiu graças a pedido dos fãs que solicitavam uma gravação destas músicas em versão acústica, para que pudessem ser apreciadas em uma qualidade melhor. O duo então conseguiu fechar parceria com a Earmusic, atual gravadora do Stratovarius, lançando em outubro de 2012 o disco de 13 faixas, com releituras de Stratovarius/Sonata, material solo de Kotipelto, como também, cover de grandes clássicos do metal.

Blackoustic (foto: Dayane Montenegro)

O show começou pontualmente às 20h ao som do tema do filme “Rocky”, momento onde os músicos subiram no palco sorridentes e acenando para os fãs que estavam bem próximos. Eles já são bem conhecidos pelos brasileiros, mas é sempre uma emoção poder revê-los, ainda mais em uma apresentação mais intimista e animada como esta. Em seguida Jani pegou seu violão, ajeitou seu banquinho e já de início tocou a belíssima música do Stratovarius, “Black Diamond” (1995), mudando um pouco a ordem das músicas em relação aos outros shows, já que esta geralmente era a segunda faixa do setlist. Os músicos arriscam um “Boa noite Porto Alegre”, e agradecem a presença de todos naquela noite tão agradável. Na sequência, Jani brinca com a platéia dizendo que a próxima música não era das melhores, pois havia sido composta por Kotipelto. Tocaram então “Sleep Well” (2012), onde o guitarrista conseguiu errar a nota do refrão, arrancando aplausos e risadas do público que se divertia com os dois. A cada intervalo entre as músicas, a dupla que transbordava simpatia aproveitava para bater um papo rápido com a platéia, e também beber um pouco da cerveja gelada que estava servida na mesinha de centro.

Blackoustic (foto: Dayane Montenegro)

A próxima música escolhida foi um cover do grande Gary Moore, “Out In The Fields” (1985), que por sinal ficou muito bem neste formato. A combinação dos vocais de Kotipelto e Jani é incrível, principalmente durante o refrão, onde percebemos o quanto as duas vozes se completam. Vale salientar que a dupla estudou muito cada música que iria compor o álbum, conseguindo assim produzir um ótimo arranjo para transformá-las em versões acústicas. Na sequência tocam “Shine In The Dark” (2015) do Stratovarius, muito esperada por esta que vos escreve, pois é fã do álbum “Eternal” desde seu lançamento há quase três anos atrás. Kotipelto brinca novamente com a platéia, dizendo que a música a seguir era muito longa e “muito Stratovarius”, seguindo então com “Season of Change” (1996), e na sequência, a incrível “A Million Light Years Away” (2000), relembrando os velhos tempos de sua banda. Ao final da música, um fã da platéia grita “onde está a cerveja?”, e Jani prontamente responde que teatro não era um lugar apropriado para bebidas, mas em seguida ergue seu copo para a platéia, e saúda a todos com um “cheers!” A dupla então toca “I Will Build You a Rome” (2015), única música cover de Cain’s Offering, banda de power metal na qual os dois músicos fazem parte.

Blackoustic (foto: Dayane Montenegro)

Para animação dos fãs de hard rock, os finlandeses tocam a clássica “Perfect Strangers” (1984) do Deep Purple, que também ficou maravilhosa na versão acústica. A música foi acompanhada em coro pelo teatro, que aplaudia a performance da dupla e aproveitava para registrar tudo em suas câmeras e smartphones. Kotipelto que estava de casaco naquela noite um pouco quente, explicou que o ar do palco estava bem gelado, motivo pelo qual não havia retirado a vestimenta. Em seguida pediu então para Jani ser sincero na resposta, perguntando o que ele achava da música que viria a seguir. O guitarrista sempre muito engraçado e carismático, disse que esta era a melhor do setlist, pois havia sido escrita por ele mesmo. Tocaram então “My Selene” (2004), tão esperada pelos fãs de Sonata Arctica, que deram um ótimo retorno aos músicos, cantando a plenos pulmões e demonstrando toda a sua admiração pela banda. Na sequência, seguiram com a belíssima composição de Jani “Where My Rainbow Ends” (2012), única faixa inédita do álbum Blackoustic. Esta música que inicialmente era somente uma versão instrumental, acabou sendo adaptada para o formato acústico, recebendo então os vocais de Kotipelto que a deixou ainda mais surpreendente.

Blackoustic (foto: Dayane Montenegro)

O duo em seguida presenteia os fãs mais saudosos com a clássica ”Holy Diver” (1983), onde Kotipelto aproveita para imitar os gestos de Ronnie James Dio com seus “chifres”, dizendo que ele foi o maior ícone do rock de todos os tempos. Agitando um pouco mais a platéia, o vocalista decide ficar de pé e convida os fãs a cantarem a próxima música, seguindo então com um agitado cover de “The Trooper” (1983), do Iron Maiden. O público animado seguia as coordenadas do vocalista, que parecia estar dando uma aula de canto, apontando o microfone para os fãs e pedindo que continuassem o refrão.

Já perto do fim, Kotipelto anuncia que iria tocar a última música da noite, para tristeza de todos os presentes no teatro. Seguiram então com mais um cover de Stratovarius, “Paradise” (1997) do álbum “Visions”, saindo logo após para um breve intervalo. Os fãs emocionados começaram a gritar pelo retorno dos músicos, batendo palmas até que isso acontecesse. Atendendo a pedidos, a dupla aparece novamente, e avisa que a próxima música deixaria muitos ali emocionados. Pois bem, acertaram em cheio ao apresentarem “Coming Home”, a qual foi acompanhada pelos fãs com lágrimas nos olhos, tornando este momento único e especial durante o show.

Blackoustic (foto: Dayane Montenegro)

Já finalizando o espetáculo, o vocalista pergunta se o público poderia se levantar para a última canção, pois até então todos permaneciam sentados em suas confortáveis poltronas. A platéia prontamente aceita o convite, e a dupla agradece tocando “Hunting High and Low” (2000), sucesso do Stratovarius e também muito aguardada pelos fãs da banda. Antes de se despedirem, o Kotipelto e Jani brincam com a altura do palco que era do mesmo nível do chão, dizendo que esta havia sido uma experiência diferente, onde conseguiram se sentir muito mais próximos do público. Finalizam então o show tocando um medley de “The Final Countdown” (Europe – 1986) e “Killed By Death” (Motörhead – 1988).

As lendas do power metal finlandês envolveram o público por quase 2 horas com sua belíssima apresentação “desplugada”, demonstrando sempre muito carisma e atenção com os fãs. Em todos os momentos respondiam os pedidos da plateia, brincavam entre si e emocionavam a todos com as versões muito bem apresentadas em formato acústico. Fica agora a vontade de revê-los novamente com seus projetos atuais, e quem sabe, um segundo álbum da dupla Timo Kotipelto & Jani Liimatainen. Os músicos seguem agora para Argentina, e deverão continuar em turnê pela América Latina até 27 de maio de 2018.

REPERTÓRIO
1 – Black Diamond (Stratovarius)
2 – Sleep Well (Kotipelto)
3 – Out in the Fields (Gary Moore)
4 – Shine In The Dark (Stratovarius)
5 – Season of Change (Stratovarius)
6 – A Million Light Years Away (Stratovarius)
7 – I Will Build You a Rome (Cain’s Offering)
8 – Perfect Strangers (Deep Purple)
9 – My Selene (Sonata Arctica)
10 – Where My Rainbow Ends
11 – Holy Diver (Dio)
12 – The Trooper (Iron Maiden)
13 – Paradise (Stratovarius)
14 – Coming Home
15 – Hunting High and Low (Stratovarius)
16 – The Final Countdown (Europe) / Killed By Death (Motörhead)

2 comentários em “[Cobertura] Blackoustic em Porto Alegre: Clássicos de peso em formato acústico”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s