[Entrevista] Mats Léven fala sobre o EP House of Doom, do Candlemass

Nenhum comentário

O EP House of Doom é o segundo registro de Mats Léven com o Candlemass. E também foi o último. Entre obtermos as respostas e as publicarmos, o vocalista deixou o grupo para o retorno do lendário vocalista Johan Längqvist.

Abaixo, a conversa que tivemos com Léven, que falou sobre seu último registro com a banda e sobre o vindouro disco, que já estava sendo planejado.

por Clovis Roman

House of Doom tem algumas similaridades com Death Thy Lover (o EP anterior). A primeira música é um mid-tempo com melodias grudentas, e a última música e uma instrumental. A principal diferença é que Death thy Lover tem “Sinister & Sweet”, um Heavy Doom, e House of Doom tem “Fortuneteller”, basicamente uma balada. De quem foi a ideia?
Mats Léven: Provavelmente foi ideia do Leif. Ele que veio com a ideia básica que acabou se tornando “Fortuneteller”. Nós a gravamos de maneira bastante rápida.

Ainda sobre “Fortuneteller”, nessa música você canta de maneira calma, meio blues e bem lento. Isso é algo que os fãs não esperavam, e o resultado final ficou muito bom. Foi sua ideia vir com essa abordagem vocal para essa música?
Mats: Yeah! Eu tentei dessa maneira e o produtor Marcus Jidell gostou. Eu recebi a demo quando estava em turnê com o Trans-Siberian Orchestra nos Estados Unidos, e acabei pegando um pouco de uma vibe “Johnny Cash”.

House of Doom é seu segundo EP com o Candlemass. Por que a banda decidiu por outro EP invés de um álbum completo?
Mats: House of Doom é um single do álbum, que será lançado mais tarde ainda este ano. A gente apenas quis dar aos fãs três canções extras que não estarão nesse álbum.

A música “House of Doom” foi lançada primeiro como trilha sonora de um jogo online de mesmo nome. Quem da banda também esteve envolvido com o desenvolvimento do jogo?
Mats: A maior parte de nós da banda, junto a Hyperfrost e a Play’n Go, que desenvolveu o jogo.

O vinil 10 polegadas de House of Doom conta com a participação de Papa Emeritus do Ghost. Por que lançar a participação dele apenas em um formato especial, e não no EP normal?
Mats: O acordo com o Papa para estar nisto é que este material não estaria a venda. Seria apenas obtido conjuntamente com o jogo.

O Candlemass recentemente apareceu com o Ghost, tocando uma versão de “Enter Sandman”, do Metallica, na cerimônia do Polar Music Prize. Como aconteceu a ideia dessa junção?
Mats: Nós queríamos fazer o Polar nós mesmos, porém então o Ghost nos convidou a fazermos juntos. Nós amamos a ideia e ensaiamos dois dias antes do show.

Eu preciso te perguntar, mesmo que eu não obtenha uma resposta: Algum membro do Candlemass já tocou no Ghost em algum momento? Eu sempre suspeitei que Leif Edling tocou com eles por um tempo…
Mats: Eu adoraria ver o [nosso] baixista no Ghost. Você está pensando em um [outro baixista] que parece ou toca como o Leif…

Leif Edling escreveu no “Doom Blog” que a banda já havia gravado 10 músicas no estúdio. Quatro músicas foram lançadas no EP. E quanto as outras seis?
Mats: Nós anunciamos há um tempo que estamos gravando um novo álbum.

Mappe em ação em São Paulo. (foto: Clovis Roman)

Leif tocou no Japão há algum tempo, mas não retornou a banda efetivamente. Como está a saúde dele no momento?
Mats: Leif tocou no Wacken ano passado e Malta [16 de junho] esse ano. Ele com certeza está ficando melhor!

Mats “Mappe” Björkman não pode tocar no Freak Valley em 1º de junho. Ele está ok agora? Ele tocará nos próximos shows com o Candlemass?
Mats: Mappe estará de volta em agosto.

O Candlemass tocou no Brasil em 2016, no Rio de Janeiro e São Paulo. Eu estive no show em São Paulo e foi fantástico. A banda recebeu outras propostas para retornar ao país, agora com o novo EP?
Mats: Nós esperamos voltar em 2019.

Mats Leven em São Paulo. (foto: Clovis Roman)

Você e Leif gravaram alguns materiais muito bons, mesmo antes do Candlemass, como o Krux por exemplo. Vocês pensam em gravar algo juntos juntos novamente além do Candlemass? Algo novo para o Krux, quem sabe?
Mats: Não.

Mats, você disse em algumas entrevistas, no decorrer dos anos, que você planejava lançar um álbum solo. Como estão seus planos sobre isso no momento?
Mats: Eu sei. A maior parte disso está no meu computador [risos].

Quais bandas você acha que gravariam uma cover bacana de algumas das músicas do Candlemass?
Mats: Mastodon, talvez? Obrigado.

Antes do show começar, Brasil 2016. (foto: Clovis Roman)

Fotos: todas por Clovis Roman, registradas no show da banda em São Paulo, 2016.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s