[Resenha] Confira um apanhado geral de discos de Marcel Ziul, Magnética e Vidia

Nenhum comentário

por Clovis Roman

Marcel Ziul – In a Minute
O disco promocional de Marcel Ziul que chegou à nossas mãos mostra um som bem interessante. O CD abre com “All The Time”, mais acessível, e depois chega “Afraid of Loving You”, um funk/rock irresistível, de bom gosto tremendo. Em “Far Apart” a coisa vai tomando contornos ‘Kotzenrianos’, tanto que a quarta faixa, “Confusion”, parece ter saído de algum disco do músico. Com Richie Kotzen é maravilhoso como guitarrista e também como cantor, não há problema algum com essa similaridade.

A pop “Don’t Walk Away” e a mais experimental “Too Blind to See” são também ótimos momentos de um disco muito bom de ouvir, agradável em cada segundo de duração. Ah! Sim, também tem baladas, duas, ambas muito bonitas: “In a Minute”, que encerra o disco de maneira delicada, e principalmente “Learn to Fall”. No site do músico, conta que esse é seu terceiro álbum, lançado em 2012. Não sei se o site foi abandonado ou se ele nunca mais lançou outro álbum. Em todo caso, se a música de Marcel Ziul cruzar seu caminho, vá sem medo.

Conheça mais em www.facebook.com/marcel.ziul.music

Magnética – Homo Sapiens Brasiliensis
A frase “ouça no volume máximo” no encarte me deu a impressão de que seria um belo disco de Rock nacional. E essa impressão se confirmou com o bom riff inicial de “Inflamáveis”, com uma entrega vocal ótima de Rafael Musa (no encarte não especifica a função de cada músico, me baseei na informação no Facebook da banda). As letras do Magnetica parecem inspiradas em temas sociais voltadas à situação do nosso país: Há protesto na faixa título, onde eles cantam versos retirados do hino nacional, os questionando. Nessa, inclusive, há um clima meio circense, algo que remete à capa do disco. Realmente é todo um conceito unificado a arte gráfica e lírica. Grande sacada. Aliás, a parte gráfica é muito bacana, com fotos e imagens para as letras no encarte, relacionadas ao tema de cada uma das canções.

Há também uma faixa mais radiofônica após três pauladas, que no caso é “Céu de Abril”, música simples e efetiva. A balada “Descãonhecido” manter o clima mais ameno, em um som que passeia nas veredas de Ira! e Engenheiros do Hawaii, com belos corais de apoio; a acessível “Crianças” e sua bela letra mantém o ritmo. Essa, entretanto, ganha peso a partir de sua segunda metade. Com bons solos e com o peso novamente dominando, “Os Magnéticos” é uma das melhores faixas. Outra mais agressiva é “Natural”, outra faixa bastante inspirada, com um bom flerte com o Metal em determinadas passagens. Apesar deles citarem como influências diversas bandas dos anos 90 (a maioria do Grunge), na verdade o som desse grupo de Bebedouro/SP, fundado em 2013, é Rock and Roll com letras em português. É uma banda que poderia excursionar com o Titãs por exemplo, seria um bom pacote. O disco fecha com “Minha Hora”, uma canção inspirada, apoteótica, que encerra em si todas as nuances ouvidas até então. Baita música, baita riff principal.

Conheça mais em www.facebook.com/magneticaoficial

Vidia – Fui Abduzido
Esse disco é um tanto antigo, e admito que não sei como ele veio parar aqui na redação. Em todo caso, ao botar o disco para tocar, achei que tinham ‘queimado’ um disco do Ramones por engano. A faixa de abertura, chamada “Cadela Maldita”, tem um riff idêntico a vários do famoso grupo americano. Bom, o som do Vidia, claro, vai pelo Punk e Horror Rock, algo bem interessante, descompromissado e despojado. Não espere por muita virtuose instrumental ou letras similares a tratados filosóficos. Versos como “Nada que um tiro de 12 na cabeça não resolva” ou “O sinaleiro fechou, estou desprotegido, se marcar estou fudido” corroboram a teoria.

Mas o fato é que o som é legal, bem feito dentro de sua proposta e ao vivo deve ser divertido. É show para conferir enchendo a cara e entrando em eventuais rodinhas para se quebrar. O grupo teve mudanças de formação desde que lançou esse disco, pois no encarte constam três músicos, e atualmente no Facebook da banda constam 5 integrantes. Agora em 2019 eles lançaram outro disco, Sobrevivendo de Restos. Se chegar uma cópia desse disco aqui de maneira obscura, faremos uma resenha. Se teu lance é Punk Rock, vale uma conferida no trampo dessa galera de Colombo, região metropolitana de Curitiba.

Conheça mais em www.facebook.com/bandavidia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s