[Cobertura] Creedence se despede de Curitiba com repertório 100% composto de clássicos

Nenhum comentário

Creedence Clearwater Revisited
Live Curitiba
Curitiba/PR
27 de outubro de 2019

por Clovis Roman

Uma das mais lendárias bandas de Rock and Roll de todos os tempos, uma das mais antigas ainda na ativa, o Creedence voltou a Curitiba após alguns longos anos para mais um show repleto de grandes sucessos. Claro que o Creedence Clearwater Revisited não é a mesma banda que carregava a alcunha do Creedence Clearwater Revival, mas nela há dois membros originais e que mantém o legado vivo até hoje, portanto, méritos e aplausos para Doug Clifford e Stu Cook.

Ao lado dos veteranos estão outros músicos gabaritados, como Steve Gunner, na formação desde a (re)formulação do grupo em 1995, responsável por teclados, vocais de apoio, guitarra e violão. O guitarrista Kurt Griffey, com um currículo invejável – já tocou com Steppenwolf, Eagles, Toto, Santana e até Lynyrd Skynyrd – chegou em 2010, abraçando uma oportunidade que havia deixado passar alguns anos antes, quando recusou um convite para entrar no grupo. Completa a formação o mais recente membro, Dan McGuinness, que cuida das guitarras e vozes principais há apenas 3 anos. Ele entrou no lugar de John Tristao, que ficou mais de duas décadas nessa função, e tinha uma voz muito similar à de John Fogerty. McGuinness tem uma boa voz, um pouco mais suave mas muito bem encaixada. Sua interpretação honrou os grandes clássicos.

Doug Clifford (foto: Clovis Roman)

O show começou pontualmente às 21h, com os músicos entrando calmamente no palco, sorridentes, saudando o público mais próximo da grade. O clima agradável se instaurou de imediatamente. Ainda mais quando logo de cara mandaram “Born on the Bayou”, gravada há 50 anos no disco Bayou Country, o segundo do Creedence Clearwater Revival. Desse álbum também foi tocada “Proud Mary”, outro clássico inquestionável. O show seguiu com “Green River”, “Lodi” e a belíssima “Who’ll Stop The Rain”, que soou curiosa, pois poucos minutos após ela ser tocada, despencou uma forte tempestade na cidade.

Após uma bela sequência inicial, o frontman conversou com o público: “Olá Curitiba, estamos muito felizes de estar aqui” disse, num português macarrônico, completando, em inglês: “Meu português é muito ruim, desculpe“. Perguntou se o público estava se divertindo, se queriam cantar junto com a banda e se queriam continuar bebendo. Todas as respostas foram afirmativas. Para celebrar, “Hey Tonight”, uma das favoritas dos brasileiros. Logo depois rolou a apresentação da banda, e o baterista Doug Clifford foi a frente para contar um pouco de sua história musical ao lado de Stu; segundo ele, a dupla toca junta há mais de 60 anos.

Stu Cook (foto: Clovis Roman)

Outra canção que clama pela chuva, o megahit “Have you Ever Seen The Rain”, veio na abertura do bis, exatamente 1 hora depois do começo do show. A recepção desse grande clássico foi a mais ruidosa de todo o repertório. Muitas pessoas de todas as idades pularam e cantaram sem nenhum tipo de constrangimento. A festa ainda se seguiu com “Molina”, uma bela surpresa, a veloz “Travellin’ Band” e “Up Around the Bend”, que decretou o final, após exatos 79 minutos, do último show do Creedence na cidade para todo o sempre. A banda está realizando sua “farewell tour”, e a não ser que mudem de ideia, nunca mais retornará. Quem aproveitou essa última oportunidade não se arrependeu.

Abertura
A banda que realizou a abertura da noite foi o Doctor Pheabes, banda paulista de Rock and Roll. As canções do disco Army of the Sun, transpostas para o palco, ganham muito mais força. O show apresentado pelo quinteto foi de alto nível, e mesmo que quase todo mundo desconhecesse o trabalho dos caras até aquele momento, a galera curtiu e interagiu com o grupo. O mais recente disco é o terceiro da carreira do grupo: Em 2013 saiu o debut Seventy Dogs, e em 2017, Welcome to My House. Army of the Sun é o melhor deles.

O Doctor Pheabes tem um histórico invejável de shows – tocaram até com o Rolling Stones e em grandes festivais – e a qualidade do show dos caras segura as pontas. Merece uma conferida no trabalho deles e ir a algum show caso passem por perto. Vale citar que eles recentemente dividiram palco com o Whitesnake.

REPERTÓRIO – Creedence Clearwater Revisited
Born on the Bayou
Green River
Lodi
Who’ll Stop the Rain
Susie Q
Hey Tonight
Long as I Can See the Light
Down on the Corner
Lookin’ Out My Back Door
Midnight Special
Bad Moon Rising
Proud Mary
Fortunate Son

Have You Ever Seen the Rain?
Molina
Travelin’ Band
Up Around the Bend

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s