Go Ahead and Die: Novo projeto de Max e Igor Amadeus Cavalera lança álbum de estreia

Nenhum comentário

Autointitulado o disco tem 11 faixas e estará disponível também no formato físico através da Shinigami Records

O Go Ahead And Die nasceu para ser um grande momento entre pai e filho. Entrevistamos Max Cavalera sobre este projeto que acabou virando banda e lançou hoje (11), o primeiro disco, autointitulado. O trabalho está disponível nas plataformas digitais, através da gravadora Nuclear Blast Records. No Brasil, sairá em CD físico pela Shinigami Records.

A entrevista que fizemos com Max você confere muito em breve em nosso canal do YouTube.

Ouça: https://media.nuclearblast.de/shoplanding/2021/GoAheadAndDie/GAAD.html

O Go Ahead And Die foi idealizado pelo compositor e músico Igor Amadeus Cavalera que compartilha o sangue musical com seu pai – o grande ícone da música extrema e líder do Soulfly, Max Cavalera. A banda ainda conta com o baterista do Zach Coleman, da banda Khemmis, uma das grandes promessas do metal europeu. Os três compartilham também o mesmo pensamento com os problemas sociais de hoje em dia – retratados como riffs monstruosos e cativantes. São cheios de ódio contra um sistema que apenas beneficia os mais poderosos.

A banda lançou o primeiro single ‘Truckload Full Of Bodies’ dirigido por Jim Louvau e Tony Aguilera com uma forte crítica ao vírus da COVID-19.

Max Cavalera comenta: “‘Truckload Full of Bodies’ é um raio-x escuro da pandemia COVID-19. Ele examina como certos políticos em 2020 não se importavam com seus cidadãos. Os hipócritas cuidavam de si mesmos e não se importavam sobre o resto de nós morrendo.”

Com “Toxic Freedom”, segundo single da banda, Max comentou: “Toxic Freedom” é sobre corrupção policial, brutalidade policial e racismo policial. Isso pode ser visto e sentido em todo o mundo. É sobre autoridade matando minorias”.

Igor Amadeus complementa: “Nossos líderes abusam de seu poder enquanto milhares estão presos e mais são assassinados a cada dia. ‘Toxic Freedom’ é um protesto por aqueles que sofreram nas mãos da brutalidade policial injusta. ”

A banda também lançou um terceiro single chamado ‘Roadkill’ em que falam sobre o ponto de vista de pessoas que vivem em situação de rua antes de disponibilizar o petardo de forma mundial.

Os vocais de Max / Igor Amadeus Cavalera não foram gravados repetidamente em busca de um take “perfeito”. Coleman gravou a bateria sem nenhum software. O coração e a alma de Go Ahead And Die é apenas ir em frente, da maneira tradicional. O engenheiro Charles Elliot capturou as sessões de gravação com a ajuda do proprietário do Platinum Underground Studio, o já famoso John Aquilino. O álbum foi mixado por Arthur Rizk, cujos créditos incluem bandas como Power Trip, Cro-Mags, e Cavalera Conspiracy. A arte do álbum foi criada por Stewart Easton enquanto o logotipo em forma de círculo foi criado por Jeff Walker (Carcass).

Foto: Jim Louvau/Divulgação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s