[Cobertura] Curitiba se despede do Kiss e diz olá ao retorno dos grandes shows

Kiss
Pedreira Paulo Leminski
Curitiba/PR
28 de abril de 2022

Texto: Kenia Cordeiro
Fotos: Gledson Laurek

Na última quinta-feira (28), a Pedreira Paulo Leminski recebeu o tão aguardado, e tão adiado, devido a pandemia, show do Kiss. A capital paranaense foi a segunda cidade brasileira da End of the Road World Tour, que, como o nome sugere, trata-se da turnê de despedida da banda. Se dessa vez é de verdade, não saberemos, afinal, eles já se despediram antes (assim como vários outros grandes nomes do rock fizeram. Oi, Ozzy Osbourne). O público curitibano, muitas vezes seletivo com os shows que cá acontecem, dessa vez não fez feio e compareceu em peso.

Definitiva ou não, a despedida foi em grande estilo, com um setlist, que passeou por todas as fases da banda, recheado de hits, começando com a poderosa “Detroit Rock City” e fechando com a atemporal “Rock and Roll all Nite”, quase não dando tempo aos fãs de recuperar o fôlego entre um clássico e outro.

O espetáculo que o Kiss oferece é bem ensaiado e planejado, feito sob medida para todos os públicos, dos mais jovens, vendo os ídolos pela primeira vez, até aqueles que já conhecem todos os truques da banda ao vivo e mesmo assim não deixam de vibrar. Teve tudo o que a gente queria ver: cuspe de fogo, dancinhas sincronizadas, sangue, Paul Stanley voando sobre a plateia, cantando na sequência “Love Gun” e boa parte da “I Was Made For Lovin’ You”, lá da House Mix, e pirotecnia. Muita pirotecnia.

É pretensão demais exigir uma exímia performance vocal da duplinha Paul Stanley e Gene Simmons, no auge de seus 70 e poucos anos. O que vale aqui é a energia. Do agressivo Simmons, que executou uma poderosa “God of Thunder”, momento do sangue falso e com direito a plataforma suspensa, ao contraponto descontraído de Paul Stanley, com destaque para a clássica “Lick it Up”, a presença de palco dos músicos não deixa a desejar nem por um segundo, pelo contrário, serve de escola para muito artista novinho por aí.

Já no encore, o clima de festa deu lugar à balada “Beth”, momento do baterista Eric Singer brilhar, enquanto cantava e tocava piano. Nessa hora, foi comum ver casais abraçados, aproveitando o momento.

Depois de tantos acontecimentos ruins nos últimos anos, estávamos precisando de algo que nos transportasse para outra dimensão e nos desligasse por algumas horas do mundo real, ninguém melhor do que o Kiss para proporcionar isso. Esse foi o primeiro grande show depois desse período de pandemia, e é muito bom ver que Curitiba está novamente na rota. Vamos aproveitar.

Setlist

Detroit Rock City
Shout It Out Loud
Deuce
War Machine
Heaven’s on Fire
I Love It Loud
Say Yeah
Cold Gin
Lick It Up
Calling Dr. Love
Tears Are Falling
Psycho Circus
100,000 Years
God of Thunder
Love Gun
I Was Made for Lovin’ You
Black Diamond

Encore:
Beth
Do You Love Me
Rock and Roll All Nite

Confira a galeria de fotos:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s