Moonspell: do Rock in Rio para Curitiba (26/09/2015)

Nenhum comentário

Grupo português referência no que se convencionou a chamar de Gothic Metal, o Moonspell fez apresentação irrepreensível no palco do Music Hall, em Curitiba.

Cidade: Curitiba/PR
Data: 26 de setembro de 2015
Local: Music Hall

Texto e fotos por Clovis Roman

O grupo português Moonspell, em mais uma passagem pelo Brasil, realizou sua primeira visita a Curitiba. Divulgando o estupendo álbum Extinct, os lusitanos fizeram um show transcendental, que satisfez com folga seus fãs ardorosos, e conquistou novos admiradores naqueles desavisados que compareceram sem conhecer sua obra a fundo.

A abertura ficou por conta da Semblant, fazendo um setlist redondinho baseado em seu disco Lunar Manifesto (que é um petardo de altíssima qualidade). O destaque da banda é o vocal de Sérgio Mazul, com passagens agressivas (com um leve tom desesperador) e outras limpas mescladas harmoniosamente, e todas com bastante feeling. Entre as canções apresentadas, tivemos sete faixas do mais recente álbum, como “The Shrine” e “Scarlet Heritage” (que encerrou o set), além de duas mais antigas: “Throw Back to Hell” (lançada como single em 2012) e “Beautiful Carnage”, do EP Behind the Mask (2011). Caso surja a oportunidade de vê-los, não hesite.

O Moonspell subiu ao palco encarando uma situação inversa a do dia anterior. Em 25 de setembro, eles tocaram no Rock In Rio para dezenas de milhares de pessoas, de dia e a céu aberto. Na capital paranaense, fizeram uma apresentação mais intimista, para algumas centenas de – empolgados – fãs, em um ambiente fechado, que combina mais com o som sorumbático da banda. Quem concentra as atenções do público é o simpático vocalista Fernando Ribeiro. O gajo tem presença de palco exemplar, e é muitíssimo educado com o público, falando constantemente à todos, com um sotaque português bastante curioso.

Fernando Ribeiro
Fernando Ribeiro

O repertório, obviamente, foi focado em Extinct, que teve cinco músicas apresentadas, sendo duas logo de cara: “Breathe (Until We Are No More)” e a faixa título. Na sequência, “Finisterra” e a monstruosa “Night Eternal” deram passagem para “Opium”, clássico do disco Irreligious. Outros momentos dignos de nota foram as execuções primorosas de verdadeiras obras-primas tétricas como “Nocturna” e “Vampiria”. Impossível deixar de citar a “a mais emblemática música dos Moonspell” (palavras do vocalista), “Alma Mater”, antecedida por um bem humorado discurso de Ribeiro, que pediu aos presentes para agirem como se fosse a última música do concerto, mesmo com todos sabendo que eles logo voltariam para o encore. “Vinte anos. O tempo voa, o tempo passa. Fiz esse disco quando tinha apenas 10 anos, estou com trinta agora”, complementou, sob risos gerais. A nova “The Last Of Us” é uma que deve perdurar no setlist dos caras, pois é bem acessível e funcionou muito bem ao vivo – ainda melhor que no CD.

Moonspell
Moonspell

Após o show, toda a banda fez uma sessão de autógrafos e fotos gratuita, aproveitando para vender algumas cópias de Extinct e também o novo livro de Fernando Ribeiro, Purgatorial. Inclusive, a tarde, ele esteve em uma livraria da cidade, fazendo o lançamento local do trabalho em solo paranaense, recebendo uma boa quantidade de leitores.

Repertório
Breathe (Until We Are No More)
Extinct
Finisterra
Night Eternal
Opium
Awake!
The Last of Us
Medusalem
Nocturna
Domina
Scorpion Flower
Em Nome do Medo
Vampiria
Ataegina
Alma Mater

Everything Invaded
Full Moon Madness

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s