[Resenha] Split CD das bandas Aphorism e Rabujos

Nenhum comentário

Aphorism x Rabujos (split)
(nacional)

Material gentilmente enviado por Collapse Agency

por Clovis Roman

Esse split reúne dois excelentes nomes da música extrema criada no nordeste do Brasil. De um lado, temos o Aphorism, de Salvador/BA, que já lançou dois discos completos: Exercícios de Insubmissão (2015) e O Grotesco e o Desespero (2018). Sua formação conta com Paulo Meirelles (voz), Felipe Mendes e Marcelo Adam (guitarras), Rafael Inah (baixo) e Filipe Pereira (bateria). Do outro, está o Rabujos, veterano grupo de Recife/PE com vários registros em sua discografia, e que conta com Renan Holanda (bateria), Rodrigo B. Nery (guitarra), Jacques Barcia (vocal) e Mago (baixo).

Aphorism
Há bandas que condensam sua essência de tal maneira que conseguem se apresentar de maneira sólida mesmo que sua parte num split dure cerca de pouco mais de 10 minutos. O Aphorism, nesse curto tempo, apresenta seis faixas, sendo que duas delas nem ao menos completam 60 segundos de duração. O Death Metal do grupo tem influências claras de Napalm Death e Carcass, porém com identidade própria.

A abertura é na velocidade da luz com “Em Chamas”, faixa essa balanceada com a seguinte, “Engodo”, colossal Death de ritmo comedido mas que exala fúria e peso a cada acorde, aliada a fúria da letra que se encaixa bem no governo atual. Já “Solitude” e “Desalento” trazem versos mais voltados ao ser e suas angústias. Essa última é um arrasa-quarteirão de cerca de um minuto e meio de duração, com frases fortes como “A liberdade sempre foi falsa e circunstancial, é como buscar acolhimento ao sorrir para um espelho. Talvez seja preciso mentir por um sentido, por um significado, e no limite do engano, rende-se”, e principalmente, “Respirar não é suficiente, a mecânica do ato intensifica a angústia”, logo no começo.

Aphorism x Rabujos – A capa do disco conjunto

Rabujos
Mais moderno, principalmente pelas vocalizações de Jaques, mas ainda bastante agressivo e rápido, na linha do Nasum, o Rabujos também dá seu recado de maneira efetiva em também 1/6 de hora e também com 6 faixas. A parte caótica em “Era dos Extremos” é curta e certeira. As letras são inteligíveis, dá para entender quase tudo sem mesmo ler o encarte.

Em todo caso, ler as letras durante a audição é obrigatório, principalmente em “Os Horrores que eu lhe Digo”, cuja letra tem endereço certo, como pode ser interpretado com versos como “Não terás país nenhum, só arames e tanques” ou “Porque não me olha no olho e diz a quem servem os agentes da moral e bons costumes”. “Censura” surge como um colosso de barulho e revolução, ao não trazer riffs de guitarra propriamente ditos, e sim microfonias e efeitos provenientes da corda do referido instrumento, que instauram o caos sonoro. E há, inclusive, blast beats. Brilhante.

O split
As gravações de ambos rolaram no começo de 2019. A parte do Aphorism foi registrada por Dill Pereira no estúdio Ruído Rosa em Salvador, e do Rabujos por Pedro Santos e Rodrigo B. Nery, no LL Studio em Recife. Desse último, a mixagem e masterização ficaram com Miguel Tereso, no estúdio Demigod Recordings, em Caxarias, Portugal.

A incrível ilustração da capa é de Ars Moriendee, que já fez trabalhos similares para bandas como Infamous Glory, Expurgo e Ruínas de Sade. Por sua vez, o projeto gráfico ficou a cargo de Alcides (Burn Artworks), e tudo isso chega às mãos do consumidor final em um belíssimo digipack em papel fosco. E como a união faz a força, ainda mais no cenário underground, o split viu a luz do dia graças a soma de esforços de diversos selos, que são: Electric Funeral Records, Resistência Underground Prod., Insulto REX, Cospe Fogo Gravações, Entorte Discos, Metal Island, Burn Records e Tropical Death.

Outro ponto bacana é o fato das bandas fazerem covers uma das outras. O Aphorism relê “Batismo a Gasolina”, enquanto que o Rabujos, “Luzes do Caos”. Esse disco se assemelha a uma bomba de Napalm que ao explodir espalha um rastro de destruição impossível de ser parado. É para ouvir 10 vezes seguidas, várias vezes. Obrigatório para quem curte Death e Grindcore.

Vale citar que o Aphorism lançou, há poucas semanas, um novo single intitulado “Penumbra”:

FAIXAS
1. Aphorism – Em Chamas
2. Aphorism – Engodo
3. Aphorism – Solitude
4. Aphorism – Desalento
5. Aphorism – À Lucidez
6. Aphorism – Batismo a Gasolina (Rabujos Cover)
7. Rabujos – Os Horrores que eu lhe Digo
8. Rabujos – A Era dos Extremos
9. Rabujos – Opala
10. Rabujos – Marta
11. Rabujos – Censura
12. Rabujos – Luzes do Caos (Aphorism Cover)

Conheça mais:
Rabujos: www.facebook.com/Rabujos
Aphorism: www.facebook.com/aphorismkvlt

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s