Acesso Geral – 03

Nenhum comentário

O Acesso Geral é a seção do Acesso Music onde fazemos um apanhado geral de discos que chegam até a gente. Esse compilado traz resenhas concisas de alguns materiais enviados em formato digital.

A terceira edição dessa coluna conta com três grupos brasileiros, entre nomes emergentes e outros veteranos, como o caso do Chaosfear; além dos europeus do Dark Rites.

por Clovis Roman

Válvera – Cycle Of Disaster
Caramba! O terceiro disco do Válvera vai sair apenas dia 28 de agosto, via Brutal Records. Mas já tivemos acesso ao álbum, e podemos adiantar que é um material de primeira. O som em Cycle Of Disaster é um thrash/heavy empolgante, com um trabalho fenomenal das guitarras. Tive que ouvir a abertura, “All Systems Fall”, duas vezes seguidas, pois admito que minha atenção foi totalmente tomada pela dupla responsável pelas seis cordas Glauber Barreto e Rodrigo Torres. Essa faixa, inclusive, tem momentos que lembra as partes mais thrash do Carcass.

Com suaves nuances de teclado, “Glow Of Death”, além de “Born On A Dead Planet” trazem elementos um pouco mais acessíveis, mas ainda agressivos. Com vocais mais limpos, mas ainda meio gritados, “The Damn Colony” assume contornos mais modernos, complementado por mais um trabalho fenomenal das guitarras. Os solos em todas as músicas são ótimos, aliás.

Nas letras eles entram de cabeça em diversas histórias reais de desastres ocorridos no Brasil: o acidente radioativo de Cesium 137 em Goiânia (“Glow of Death”), as atrocidades do Hospital Colônia em Barbacena (um depósito de pessoas considerada “inferiores” – nos moldes de Auschwitz – e com a superlotação, corpos chegaram a ser dissolvidos em ácido, pela falta de espaço no cemitério); o caso ufológico da Operação Prato, no Pará; e o incêndio no edifício da Joelma, em São Paulo (possivelmente “Nothing Left To Burn”, pois não recebemos as letras), entre outros. Então é preparar os livros de história e o aparelho de som (licença poética) para conferir esse excelente disco da Válvera. Não tem como não gostar, pode ir sem medo.

Recomendo os links abaixo, para um panorama inicial de alguns dos temas abordados pelo grupo:
brasilescola.uol.com.br/quimica/acidente-cesio137.htm
www.bbc.com/portuguese/brasil-40784488
super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-foi-a-tragedia-do-hospital-colonia-de-barbacena
www.youtube.com/watch?v=T71dar2Lrwk

Informações
www.facebook.com/bandavalvera
www.youtube.com/valveraoficial
www.instagram.com/valveraband

Dark Rites – The Dark Hymns
O trio europeu Dark Rites chega ao seu terceiro álbum em setembro, com The Dark Hymns. E os caras se encontram um um momento inspirado, afinal, a estreia deles foi com Dark Rites (2017) e depois veio Welcome to Eternity, já no ano seguinte. Cria-se uma simpatia instantânea pelos caras, afinal, nesse ano eles lançaram “Animal Rights”, faixa para a caridade animal. E ano passado, um single com a música tema do saudoso Game of Thrones.

Contextualização feita, agora vamos ao disco da banda de Death Metal: The Dark Hymns é brutal em sua essência, como “Goliath the Coward” deixa bastante explícito em sua introdução na velocidade da luz. Os riffs são calcados no estilo, sem muitas invencionices – apesar de uma passagem mais ‘tranquila’ no meio – enquanto que o vocal alterna guturais e rasgados de maneira efetiva. Há sim, todavia, partes mais melodiosas e andamentos cadenciados, o que dá um dinamismo maior ao trabalho, vide a caótica “Scars” ou “Shadow God”, repleta de riffs quebrados e solo de guitarra bastante moderado na velocidade.

A segunda metade do CD não traz muitas variações, pois conta com faixas com abordagens similares entre si, mas não chega a cansar, pois eles tem aproximadamente 4 minutos em média cada uma. O som do álbum, no geral, é um pouco abafado, mas nada que prejudique a audição. O som das guitarras está melhor que no disco anterior, e as composições estão mais brutais. É um registro bastante recomendado para fãs do estilo. Se for seu caso, coloque na agenda: The Dark Hymns sai dia 11 de setembro, pela Brutal Records.

Kennel to Couch (Causa animal): kenneltocouch.org/pitbull-charity

Informações
www.darkritesband.com
www.facebook.com/darkritesband
www.youtube.com/DarkRites
www.instagram.com/darkrites.band

Chaosfear – Be The Light In Dark Days
Eu sinceramente me surpreendi com o novo direcionamento do Chaosfear nesse novo trabalho dos caras. A banda ficou um tempo em hiato após lançar a dobradinha “One Step Behind Anger” e “Image of Disorder”, de 2007 e 2008 respectivamente. Foram discos que eu recebi da banda na época para resenha, portanto acompanhei aquela época de perto. Vi uns 3 ou 4 shows do grupo nas antigas, inclusive uma apresentação brilhante de abertura para o Cannibal Corpse, no Hangar 110, em 2007. É uma banda que eu conheço bem e estava ansioso pelo novo material.

De lá pra cá rolou em EP em 2012, e desde o ano passado saíram alguns singles, mas admito não ter ouvido esses. Mas em todo caso, recebi o digital – é, são os novos tempos – de Be the Light in Dark Days, que traz uma mudança considerável na proposta. O que outrora era um Thrash Metal com nuances Death cadenciadas e boas melodias permeando partes de violência incessante, assumiu contornos mais acessíveis, dentro, claro, do rótulo Metal. Há uma aura mais Behemoth em alguns detalhes, algo mais caótico e menos alicerçado em riffs, como manda a cartilha Thrash Metal. Ainda tem isso, claro, mas em menor escala.

Outra mudança significativa foi a inserção mais efetiva de vocais limpos (antes bem raros), que aparecem bastante e são muito bem feitos. Os guturais/gritados estão também diferentes, um pouco mais secos, mas nada que comprometa. A faixa-título e “A New Life Ahead” exploram bem essas características – aliás, o trampo de guitarra nessa última é excepcional. “Cold”, entretanto, evocando, “Little Crazy”, do Fight, não funcionou. “Mindshut” resgata os primórdios do grupo, e “From the Past”, um tanto lúgubre, é o destaque maior deste disco.

O ponto em que quero chegar é que a banda mudou, mas no geral não perdeu qualidade. É um material para se ouvir diversas vezes, para assimilar a ideia como um todo. Eu ouvi o Image of Disorder antes de resenhar este novo trabalho, e as diferenças são latentes. Quando uma banda muda, os fãs às vezes levam um tempo para entender. Eu acho que sou um desses casos.

Informações
Facebook: www.facebook.com/chaosfear
Instagram: www.instagram.com/chaosfearband
Spotify: open.spotify.com/artist/3V3WFlj68xP2Zf1TqYI7dB
Deezer: www.deezer.com/br/artist/116022
iTunes: itunes.apple.com/us/artist/chaosfear/252364461
Amazon: music.amazon.com.br/artists/B0015LQGWY/chaosfear
YouTube: www.youtube.com

Metalmad DC – Colheita Maldita
O Metalmad DC é um nome do underground com certa história, que voltou a ativa com toda força ano passado, após alguns anos de inatividade. Formam hoje o grupo os músicos recentes Cristiano ‘Cachorrão’ (bateria e Alex Roque (guitarra), e os precursores Sandro Piccolo (baixo) e Alexandre Quadros (vocal). O single “Colheita Maldita” une essas duas fases da banda, considerando sua origem e atual gravação. Afinal, a música antiga finalmente foi gravada com a formação pós-reformulação.

O som é bem produzido, tem um ótimo trabalho nas guitarras, com bons riffs e solos. Os vocais às vezes estão um pouco altos, mas nada exacerbado, entretanto. Há trechos declamados no meio, que dão um ar de terror interessante. As partes cantadas poderiam ser um pouco mais “malditas”, para casar melhor com a temática e com o ótimo instrumental. Mas o todo é bacana, merece audições repetidas.

A letra é, obviamente, inspirada em Colheita Maldita (Children of the Corn), obra de Stephen King que rendeu uma lendária trilogia cinematográfica. A música em si é uma composição antiga, resgatada para ser finalmente registrada em estúdio. O grupo surgiu em entre 2011 e 2012, teve problemas de formação e chegou a entrar em um hiato. Quando voltaram, revigorados, em 2019, adicionaram o sufixo DC, que significa “Depois do Coma”; bem sacado. Um EP de 4 faixas deve ver a luz do dia em momento oportuno, e possivelmente, em breve.

Informações
Facebook: www.facebook.com/bandametalmadDC
YouTube: www.youtube.com/user/MrHeavyMetalMad

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s