[Resenha] OxDxPx cada dia mais afiado no rock pauleira

Nenhum comentário

OxDxPx – Voltamos Mijados e Putos
(Terceiro Mundo Chaos Discos – nacional)

por Clovis Roman

No underground é assim: as vezes você compra um CD mesmo sem conhecer o som, para dar aquela movimentada mesmo e ampliar seus horizontes musicais. Lá pelos idos de 2013, adquiri o debut do Orgasmo de Porco (O.D.P.), My Mind is a Mess, que era, de fato, uma bagunça, com músicas em português e outras em inglês, gravação ‘carinhosa’ e músicas um tanto repetitivas. Mas isto ficou no passado.

Depois, saíram o EP Useless e o álbum Struggle Within, seguido por este EP, Voltamos Mijados e Putos. O trampo com oito músicas e pouco mais de 13 minutos conta com letras em português e uma malemolência mais pungente. As músicas são bem mais curtas que o CD de outrora, direto ao ponto, e consequentemente, mais interessantes. Como não cair de amores por “Velozes e Progressivos” e sua letra que cita clássicos do Pink Floyd, Rush, Iron Maiden e Yes, além de colocar “Illumination Theory” (do Dream Theater) neste balaio de clássicos? Na real, a ligação entre todas as músicas citadas é o fato delas serem gigantescas, principalmente esta do Dream Theater e “The Gates of Delirium”, do Yes, que tem 22 minutos de duração cada uma. Pode ser zoeira? Pode. Mas o som é foda e, claro, fica à anos-luz de distância dos grupos aqui citados. Até porque ela dura apenas um minuto, cravado.

.
Um tributo à bebida mais amada do Brasil, “Cerveja” é um hardcore/punk rápido mas nem tanto, gritado e etílico. “Cientologia” vem na sequência e vai na mesma linha, sem tirar nem por. Só muda o tema da letra. Quase uma declaração de amor, “Ubatuba” rima o nome da cidade com ‘garupa’, em um andamento cadenciado e até mesmo acessível, exceto pelos segundos finais, barulhentos e caóticos. Eu nunca fui à São José dos Campos, cidade natal do quarteto, mas imagino que “São José do Esgoto” seja uma homenagem e/ou protesto – não consegui precisar muito bem – em relação  a situação municipal. No que tange a parte musical, na primeira metade é cantada a letra, e na segunda, instrumental, solos de guitarra vem em sequência até o fim em fade-out.

Por sua vez, “Som das Ruas” se assemelha a uma ode ao noise. Ou uma reclamação à postura da sociedade contra a música marginal. Ou quem sabe, ainda, seja sobre qualquer outra coisa. Com temas mais direcionados, encerram o disquinho “Cuba Libre” (Montilla, gelo, limão e Pepsi) e “Sumô”, uma EMOCIONANTE (!) homenagem ao esporte de uma nação, no caso, o Japão. Tanto na letra quanto na música (que é muito foda, possivelmente a melhor de todas) em si.

Este CD é divertido pra caralho, com letras doentes e som simples e reto. Não tem como não gostar de um encarte que tem uma foto da Palmirinha e outra com várias garradas de cerveja Lokal (a melhor cerveja produzida em território nacional e mundial). Compre uns goles e o CD, e ouça sozinho em casa. Vomite e durma no sofá, mijado, com o CD rodando no repeat, alto pra caralho, deixando os vizinhos putos. Foda-se.

Compre: http://www.tmcdiscos.com.br/p-6487049-(TMCD118)-ORGASMO-DE-PORCO—VOLTAMOS-MIJADOS-E-PUTOS

Músicas:
Cerveja
Cientologia
Ubatuba
Velozes E Progressivos
São José Do Esgoto
Som Das Ruas
Cuba Libre
Sumo

Informações:
Facebook: https://www.facebook.com/oxdxpx
Instagram: https://www.instagram.com/orgasmodeporco

Capa: Reprodução

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s