Moonspell: The Antidote e 2econd Skin ganham novas versões pela Shinigami Records

Nenhum comentário

[press-release]

Formado há mais de três décadas, o Moonspell enfrentou várias tribulações até se tornar a banda de metal portuguesa mais celebrada internacionalmente da história. Depois de um ano do lançamento do seu bem-sucedido álbum “Irreligious” de 1996, os portugueses quiseram manter a atenção do público e lançaram o EP duplo “2econd Skin” (as músicas do CD 1 futuramente fariam parte do relançamento de 2019 do álbum “Sin/Pecado” como faixas bônus).

O disco 1 contém o single ‘2econd Skin’ em duas versões, o cover da música ‘Sacred’ do Depeche Mode e o rearranjo da música ‘An Erotic Alchemy’ presente no álbum “Wolfheart” de 1995, agora chamada ‘Erotik Alkemy (Per-version)’. O disco 2 traz versões ao vivo de algumas faixas dos álbuns “Wolfheart” e “Irreligous” gravadas durante a Perserve Almost Religious Tour 1997.

“2econd Skin” foi produzido pelo parceiro de longa data Waldemar Sorychta, que já tinha trabalhado com o MOONSPELL nos dois trabalhos anteriores, e foi dedicado à memória do escritor americano William S. Burroughts (1914-1997), considerado um dos artistas mais importantes cultural e politicamente do século 20.

Adquira sua cópia em https://bit.ly/3gYJOho

Outro registro do Moonspell relançado no Brasil é The Antidote. O grupo portugues nunca lançou dois álbuns semelhantes, porém, sempre há algum elemento ou alguma passagem que mostra uma conexão entre os seus trabalhos. Por exemplo, no seu sexto álbum de estúdio, lançado originalmente em 2003, “The Antidote” aparece a mesma melancolia que encontramos em “The Butterfly Effect” (1999) ou em “Darkness and Hope” (2001). Mas as comparações acabam por aqui.

“The Antidote” é dominado principalmente pelos riffs de guitarra e musicalmente se assemelha mais a um álbum de Rock que de Gothic Metal. Por isso mesmo, este álbum é mais pesado do que seu antecessor graças às guitarras bem distorcidas de Ricardo Amorim, a agressiva bateria de Miguel Gaspar, os poderosos rosnados de Fernando Ribeiro e o baixo pesado mas, ao mesmo tempo moderado de Niclas Etelävuori (ex-Amorphis) que foi convidado especialmente para participar deste álbum, após a saída do baixista de longa data Sergio Crestana.

Outra característica do som do Moonspell que também está presente em “The Antidote” é a incrível e majestosa combinação de escuridão nórdica com a sensibilidade latina. As músicas do álbum são vivazes, não mecânicas, profundamente emocionais e sinceras e é tudo isso que as torna tão sublimes.

“The Antidote”, muitas vezes injustamente subestimado, é uma verdadeira obra-prima, não apenas para a discografia do Moonspell, mas para a cena do metal contemporâneo em geral.

Adquira sua cópia aqui: https://bit.ly/3gWsae7

Relançamentos da parceria Shinigami Records/Century Media

Capa: Clovis Roman

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s