Tarja em Curitiba/PR (25/10/2015)

Resenha de Kenia Cordeiro para o show de Tarja Turunen em Curitiba.
Realização: Damar Productions

um comentário

A cantora Tarja Turunen apresentou sucessos de sua carreira solo e até uma música nova. Houve também espaço para canções gravadas com sua antiga banda, o Nightwish.

Cidade: Curitiba/PR
Data: 25 de outubro de 2015
Local: Vanilla Music Hall

Texto por Kenia Cordeiro
Fotos Tarja: Kenia Cordeiro e Clovis Roman
Fotos DevilSin e Semblant: Clovis Roman

Essa foi a 4ª visita da cantora Tarja Turunen à Curitiba. Ela já esteve em solo curitibano duas vezes com o Nightwish, nas turnês dos discos Wishmaster (2000) e Century Child (2002), e também, na sua estreia em carreira solo, com My Winter Storm (2008). Agora, ela veio com a turnê do seu último álbum de rock, Colours In The Dark, cuja turnê está quase no fim. Portanto, além das músicas do referido álbum, Tarja ainda trouxe um agrado para os fãs brasileiros, que é a sua nova música intitulada “No Bitter End”, que estará no seu próximo CD, cujo título ainda não foi divulgado. Mas conforme entrevista recente, a previsão de lançamento é para o outono de 2016.

Semblant sem baixista, mas com o Mário.
Semblant sem baixista, mas com o Mário.

Foi um domingo frio e chuvoso (típico clima curitibano), mas isso não impediu que os fãs comparecessem em peso. Antes mesmo que a casa abrisse, pudemos notar uma fila com um número considerável de pessoas, que aguardavam ansiosamente para conseguir um bom lugar em frente ao palco. Alguns chegaram na frente dos portões as 4h da madrugada.

Devil Sin esquentou a galera!
DevilSin esquentou a galera!

Tivemos duas ótimas bandas de abertura: Semblant e DevilSin. A primeira da noite foi a  Semblant, que mostrou-se muito competente e merecedora de todo reconhecimento que vem recebendo com o último álbum, Lunar Manifesto. A banda, com quase 10 anos de estrada, é liderada pelo vocalista Sergio Mazul, e possui ótimas composições. Os músicos são excelentes e a vocalista Mizuho Lin é boa tecnicamente, mas apresenta uma postura no palco um tanto apática, principalmente quando não está cantando.

Os instrumentistas do Devil Sin.
Os instrumentistas do DevilSin.

O DevilSin subiu ao palco logo após a Semblant (menos de 10 minutos depois). A banda, apesar de nova (foi formada em 2013), possui um veterano na cena curitibana, o vocalista Kevan Gillies . As composições do DevilSin são simples e diretas, sem perder a qualidade, e a presença de palco e interação com a plateia de Kevan é incrível. Como tradição, a banda levou uma garrafa de bebida para o palco, dessa vez foi um Red Label. Depois de todos da banda degustarem a bebida, ela foi entregue para o público para, literalmente, esquentar a plateia.

Tarja Turunen.
Tarja Turunen divando.

Após um tanto de espera,  Tarja sobe ao palco. E ela já começa sem piedade, mandando a poderosíssima “The Phantom of the Opera”, canção de Andrew Lloyd Webber e velha conhecida dos fãs, já que está presente no álbum Century Child, do Nightwish. A segunda música do repertório, foi a cadenciada “500 Letters”, onde alguns fãs jogaram várias cartas no palco, fazendo referencia à musica, e Tarja, consagrando que é a “ mais simpática” (uma brincadeira dos fãs brasileiros, mas que reflete a mais pura verdade), jogou várias cartas para cima, interagindo com os fãs.

Muito diferente de suas apresentações antigas, quando Tarja ainda fazia parte do Nightwish, ela parecia estar muito a vontade durante a apresentação, era visível a sua felicidade e empolgação, esbanjando sorrisos, regendo o público a cada música.

Tarja Turunen e banda.
Tarja Turunen e banda.

Um dos momentos mais bonitos do show foi logo após a música “Falling Awake”, onde Tarja fez uma breve pausa para agradecer aos fãs por todo amor e apoio que ela tem recebido ao longo dos anos e dedicou a próxima música a eles, dando inicio a “I Walk Alone”. Da mesma forma que seus discos de estúdio, o show foi marcado por momentos “pesados”, com bons riffs de guitarras, como na estupenda “Neverlight” e momentos delicados, como na belíssima “Until Silence”.  Tarja é muito expressiva e consegue transmitir de forma clara a emoção de cada música.

Tarja dançando loucamente.
Tarja dançando loucamente.

Um dos pontos altos acontece quando começaram os primeiros riffs de “Slaying the Dreamer”, outra canção do álbum Century Child, portanto, os fãs “das antigas” que foram na esperança de ouvir algo do Nightwish, saíram satisfeitos.  A última canção foi a sugestiva “Until My Last Breath”, presente no seu segundo álbum solo, What Lies Beneath (2010), onde Tarja se despediu do público com o seu ultimo suspiro.

Eu quero ouvir vocês...
Eu quero ouvir vocês…

O publico curitibano pode conferir mais um belo espetáculo organizado pela Damar Productions que vem crescendo cada vez mais e oferecendo shows de qualidade na cidade.  Agora, só nos resta aguardar ansiosamente para que na próxima turnê, Curitiba esteja na rota da nossa querida deusa.

Mais feliz do que nunca :)
Mais feliz do que nunca 🙂

Repertório
The Phantom of the Opera (Andrew Lloyd Webber)
500 Letters
Ciarán’s Well
Falling Awake
I Walk Alone
Anteroom of Death
Never Enough
Dark Star
Neverlight
Until Silence
No Bitter End
Goldfinger (John Barry)
Deliverance

Victim of Ritual
Slaying the Dreamer (Nightwish)
Die Alive
Until My Last Breath

1 comentário em “Tarja em Curitiba/PR (25/10/2015)”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s