[Resenha] Uganga – Opressor

Nenhum comentário

A resenha abaixo foi escrita em 2015, entretanto acabou ficando no limbo por motivos desconhecidos. O material foi enviado pelo Som do Darma. Confira o texto original sobre Opressor, da banda mineira Uganga.

Uganga – Opressor
(independente – 2014)
Nota: 9

Por Clovis Roman

O Uganga é a atual banda de Manu Joker, músico que tem em sua história uma passagem pelo lendário Sarcófago, com a qual gravou as partes de bateria do clássico EP Rotting. Mas desse passado veloz e blasfemo pouco sobrou no quesito musical. O Rock/Metal do Uganga, com forte influência de Hardcore – o arregaço de “Moleque de Pedra” é um bom exemplo – e Thrash é um som mais trampado e esmerado. Outro ponto que chamam a atenção são as letras, cantadas em português.

A sonoridade, a princípio, remete a um Dorsal Atlântica mais refinado, principalmente pelo teor lírico (e pela maneira que os versos são cantados) e, um pouco menos, pelo instrumental. Mas ao passar das faixas essa similaridade vai se dissipando, pois o Uganga tem nuances melódicas mais evidentes que a outra. Um dos destaques nessa sequência evolutiva é a faixa título “Opressor”, cujo instrumental metálico e cadenciado alicerça uma ótima letra: “Quando não se julga pela face, vê-se a beleza do opressor” é um dos trechos.

Se o grupo se sai bem na hora de fazer sons pancadas, na hora de composições mais cadenciadas eles também mostram autoridade. Afinal, a acessível “Modus Operandi” tem passagens mais suaves, e é uma das melhores. A sua sucessora, “Nas Entranhas do Sol”, conta com dedilhados e trampo de guitarra menos veloz, enquanto “Aos Pés da Grande Árvore” tem uma introdução inclassificável, mas que depois vira um petardo de primeira. Aliás, o refrão gruda logo na primeira audição.

O Uganga (que no início grafava-se U-Ganga) encerra seu disco com a instrumental “Noite” e a serena “Guerreiro”, duas músicas que mantém o padrão. Entre elas, há “Who Are The True?”, que é um tributo deles ao Vulcano. Para finalizar os 43 minutos de Opressor (o 4º álbum da banda, fundada em 1993), há ainda uma faixa escondida após alguns minutos de silêncio. Os puristas vão torcer o nariz.

[N. do R.: Depois do texto escrito e publicado, em entrevista que conduzi com o vocalista Manu Joker, o mesmo me informou que a tal faixa escondida saiu apenas nos discos promocionais enviados à imprensa. A versão disponível para o público em geral não têm a música em questão.]

MÚSICAS
1. Guerra
2. O Campo
3. Veredas
4. Opressor
5. Moleque de Pedra
6. Casa
7. L.F.T.
8. Modus Vivendi
9. Nas Entranhas do Sol
10. Aos Pés da Grande Árvore
11. Noite
12. Who Are the True? (Vulcano)
13. Guerreiro

Facebook: www.facebook.com/ugangaband
Site: www.uganga.com.br

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s