Underground Ilustrado: A paleta de cores da música curitibana

Nenhum comentário

por Rico Boschi

O mundo conheceu o lado pintor de Dee Dee Ramone em uma exposição póstuma na galeria Fairey, a Subliminal Projects, em 2012. Kurt Cobain assinou a ilustração do álbum “Incesticide”, lançado em 1992, além de criar o icônico “smile chapado” que até hoje caracteriza o Nirvana. Don Bolles, baterista do The Germs, criou a marca da banda inspirada em uma queimadura de cigarro… Ao que parece, o namoro entre a música underground e as artes visuais gerou muitos filhos espalhados pelo mundo, muitos inclusive se manifestando aqui, entre os pinheirais da capital paranaense.

Prova disso é a exposição “Underground Ilustrado”, que vai reunir, entre os dias 9 de fevereiro e 30 de março, os trabalhos de 17 músicos/ilustradores (ou ilustradores/músicos) no Solar do Barão, com entrada franca.

Arte da banda Grimpha, por Ulisses “Mano” Rodrigues

Christiano C Neto – ilustrador, baterista da “Rabo de Galo” e idealizador do projeto – lembra que “musica e artes visuais são duas formas de manifestação artística que se complementam, o aspecto visual está presente no estilo dos artistas, nos cartazes, adesivos, vídeos… Tudo isso ajuda a criar uma identidade para a banda e aprimora o senso estético do artista. Por isso essa junção acontece de forma bastante natural”.

Arte inspirada em álbum do R.D.P. por Daniel Gonçalves

Responsável pela curadoria do evento, o ilustrador, tatuador, guitarrista e vocalista da banda Repelentes Daniel Gonçalves aponta que todos os artistas selecionados são grandes movimentadores da cena e que seus trabalhos seguem diversas vertentes. “A música sempre nos remete a diversos lugares e momentos, Traz cargas estéticas e referências visuais que são transmutadas para a produção visual do ilustrador, como um catalizador, o que torna cada trabalho único”, reflete.

Ilustração de Christiano C. Neto

Também se destaca o trabalho do artista plástico Rafael Silveira – cuja mostra Circonjecturas levou mais de 90 mil pessoas ao Museu Oscar Niemeyer (MON), entre maio e agosto do ano passado –, e que divide a sua energia criativa entre entre pinturas, esculturas, instalações interativas e o Trompete dos Transtornados do Ritmo Antigo. Aliás, pra manter o ritmo, estão previstos ainda, durante a abertura da exposição, shows com as bandas Rabo de Galo e Repelentes, além de uma homenagem ao poeta, pintor, ilustrador e agitador cultural Magoo, falecido em 2015.

As expectativas para o evento são tão positivas que os planos para uma segunda edição já começam a tomar forma. Christiano C, Neto adianta que muitos artistas voltados à performance, vídeo, escultura e outras linguagens já manifestaram o desejo de participar. Parece que a prole vai crescer, e quem ganha é a arte curitibana.

Confira a lista de artistas participantes:

Chico Felix – Vida Ruim
Koti – O lendário Chucrobillyman
Lemer Luiz – Deathsmoke
Ulisses Rodrigues – Necrotério
Maxweel Alves – Cromathia
Jura – Zabilly
Glerm – Mongo
Rafael Silveira – Transtornados do Ritmo Antigo
Wilson – PoisonBeer
Thiago – Crazy Bastards
Gusso – Pantanum
Christiano C.Neto – Rabo de Galo
Daniel Gonçalves – Repelentes
Eli – Vídia
Fernando Nishijima – WiFi Kills
Mario Alencar – A Mão Invisível
Romvlvs – Marte
18- Leandro Almeida- Menos Arte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s