Rock Alternativo abrangente e convincente: Assim é a estreia do 4drive

Nenhum comentário

4drive – Recycle
(Independente – Nacional)

Por Clovis Roman

O grupo de Rock Alternativo 4drive tem em Recycle sua estréia no mercado discográfico. O trabalho – gravado no Estúdio RG – foi produzido pela própria banda junto a Guilherme Malosso. A banda é antiga, foi formada em Americana/SP no dia 02 de abril de 2011 (só faltou saber o horário…), e o tempo de estrada se refletiu na maturidade apresentada por Eduardo Zabani (voz), Gabriel Falcade e Otaviano Costa Jr. (guitarras), Pedro Konishi (samplers), Guilherme Forti (baixo) e Daniel Carrara (bateria) nesse álbum.

A abertura é forte: “Something There” tem bons riffs, clima marcante e boa performance vocal. É algo de Pop com Emocore, com guitarras fincadas no Alternativo. Em “Madman” os caras escancaram o Rap Metal da segunda geração, na linha do Limp Bizkit, mesclado a passagens mais suaves e com refrão forte. Sobre influências, eles citam artistas um tanto díspares, como Silverchair, Deftones, Limp Bizkit, Korn, Sublime, Faith no More, Lynyrd Skynyrd, Mr. Big, The Beatles e Led Zeppelin. Nessa salada toda está o que torna o som da banda cativante. Afinal, eles pegaram elementos e formaram algo único.

A balada “Fading Memories” é um belo momento, pois não é brega como a maioria de suas irmãs. A performance de Zabani e a cozinha são as principais responsáveis. algumas nuances chegam a lembrar o Creed, mas acredite, isso aqui não é um demérito. “Spacetime Theory” é o destaque máximo do full lenght, e abre espaço para a segunda metade do mesmo, onde as coisas se acomodam um pouco. Mas apenas um pouco. Afinal “Voiceless” (que a despeito do título, não é instrumental) é uma bela composição, melódica na medida. A meio Post-Hardcore “Owe You” também.

Concebida apenas como um interlúdio, “Catch Fire” acaba se destacando por sua batida eletrônica modernosa e acento Rap nas linhas vocais. Mostra como os integrantes do 4drive são competentes intérpretes e compositores nos mais variados terrenos musicais. Poderiam tê-la trabalhado melhor para além de seus parcos dois minutos, afinal, é um musicão! Mais descolada, com bom trabalho de vocais de apoio, “Rain” abre espaço para a saideira, a décima e derradeira faixa de Recycle: a semi épica “Highlander”, que começa lenta e depois vai tomando forma com elementos já ouvidos anteriormente. É um fim digno, de qualidade inegável.

Só deveriam ter colocado o nome da banda maior que o nome do álbum na capa. Afinal, quando o disco chegou aqui no escritório, eu poderia jurar que o nome da banda era Recycle.

Facebook: www.facebook.com/4drivemusic

MÚSICAS
01. Something There
02. Madman
03. Fading Memories
04. In the Game
05. Spacetime Theory
06. Voiceless
07. Owe You
08. Catch Fire (Interlude)
09. Rain
10. Highlander

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s