[Cobertura] Saxon apresenta o Heavy Metal em sua forma mais pura em show lotado no Tropical Butantã

Nenhum comentário

Saxon
Tropical Butantã
São Paulo/SP
16 de março de 2019

Por Clovis Roman e Kenia Cordeiro.

O Saxon é figurinha carimbada no Brasil nos últimos anos. Algo que cada headbanger tupiniquim deve agradecer todos os dias antes de dormir. A banda permanece lançando discos dignos de nota até hoje, sem se render a modismos ou experimentalismos quaisquer. Seus shows são cheios de energia e riffs de guitarra marcantes. Isso com três de seus integrantes já tendo passado da casa dos 65 anos. O frontman Biff Byford, do alto de seus inacreditáveis 68 anos, ainda canta muito e agita como um ‘metalhead’ adolescente, enquanto Nigel Glocker (66) ainda conduz a parte percussiva da banda com muita força e precisão. É inspirador ver o quinteto ao vivo.

Assim como a última passagem, que aconteceu ano passado – sim, o Brasil viu a turnê Thunderbolt duas vezes – a banda subiu ao palco do Tropical Butantã, casa de grande porte em São Paulo. Antes, haviam passado pelo Rio de Janeiro (Vivo Rio) e Porto Alegre (Opinião). Com a fila grande desde cedo, com o público consumindo muita cerveja, espetinhos e lanches diversos, a ansiedade era alta. A casa cheia comprova isso.

A abertura ficou com a banda Uncle Trucker, que mandou músicas de seus discos autorais e algumas covers, como Dr. Feelgood (Motley Crue) e Metal Health (Quiet Riot). A presença de palco acanhada – com exceção do vocalista – e as composições comuns pouco chamaram a atenção. O público bradou “Saxon, Saxon, Saxon” em determinados momentos, e ao menos 2 integrantes deram respostas irônicas pra galera. Ou seja, o público não gostou e esqueceu deles assim que saíram do palco.

Biff e Doug (foto: Clovis Roman)

As cerca de duas mil pessoas presentes no Tropical Butantã queriam mesmo é ver uma das maiores bandas de Heavy Metal de todos os tempos, um dos pilares da NWOBHM, o Saxon. A banda britânica, na estrada há quatro décadas, apresentou um repertório digno de primeira visita ao país. Afinal, uma ou outra coisa nova apareceu, mas os caras fizeram do setlist um verdadeiro best-of de sua carreira. Pois veja bem: Dos últimos 25 anos, tivemos apenas cinco representantes: parcas duas de Thunderbolt (2018), sendo a faixa título que abriu o show e “They Played Rock and Roll”, em homenagem ao Motorhead e à Lemmy; “Sacrifice” e “Battering Ram”, de seus álbuns homônimos imediatamente anteriores a esse, além da pesadíssima “Dogs of War”, do disco de mesmo nome, lançado em 1995. Essa, uma agradável surpresa, já que não vinha sendo tocada com regularidade na turnê. A canção marcou os anos 90 na MTV, pois sempre figurava na seleção de videoclipes do saudoso Fúria Metal. Uma pena que “Lionheart” tenha saído, já que deu espaço a formidável “Solid Ball of Rock”, que há várias turnês a banda não tocava no Brasil.

Dos demais clássicos fica até complicado comentar, pois são canções atemporais, que ainda emocionam os fãs (sim, teve gente chorando em alguns momentos) e os motivam a balançar a cabeleira. Mas vale destacar a dobradinha “Rainbow Theme / Frozen Rainbow”
e “Backs to the Wall”, ambas do debut da banda, que saiu em 1979. O disco, ainda cru, conseguiu emplacar músicas que ainda são lembradas, mesmo após 40 anos. Logo no começo eles ainda mandaram sons do quilate de “Wheels of Steel”, “Strong Arm of the Law” e “Denim and Leather”, todas faixas que dão nomes a discos clássicos e regularmente citados como os favoritos dos fãs. Nessa última começou uma chuva de coletes jeans com patches no palco, e um a um Biff foi os distribuindo: primeiro ao baixista Nibbs Carter, e depois aos guitarristas Doug Scarratt e Paul Quinn. A linha de frente – Biff já estava com o seu – tocou com coletes, num momento genial. Depois, claro, todos foram devolvidos aos seus respectivos donos. Biff também tratou de gravar vídeos em seu celular, mostrando a galera de cima do palco.

Paul Quinn (foto: Clovis Roman)

A supracitada “Solid Ball of Rock”, assim como “Motorcycle Man”, foram pedidos do público. Sempre simpático, Biff sugere ao público algumas músicas: além dessas duas, ele ainda cita “Ride Like The Wind” (versão fantástica de Christopher Cross, cuja original já é maravilhosa) e “Hungry Years”, faixa menos lembrada do álbum Strong Arm of the Law (80). Essa última não causou comoção na galera, que ficou quieta. As outras, entretanto, foram ovacionadas, e não teve jeito, tiveram que tocá-las. A forte “747 Strangers in the Night”, que conta a história de um avião que teve problemas para aterrissar devido a um apagão que por pouco virou uma tragédia, foi outro ponto alto de um show homogêneo. O rockão “And the Band Play On” e a ultra veloz “To Hell And Back Again” direcionaram o fim do repertório padrão, decretado com a cadenciada – e com seu riff inesquecível – “Dallas 1PM” e o épico “Crusader”.

O golpe fatal veio no encore, com 4 músicas, todas clássicos inquestionáveis. Primeiro vieram “Heavy Metal Thunder” e “Never Surrender”, rápidas e pesadas, seguidas pela igualmente veloz “Motorcycle Man”. O final definitivo veio com a imortal “Princess of the Night”, cantada a plenos pulmões pela galera que, mesmo cansada, ansiava por mais. O Saxon ao vivo é uma celebração ao Heavy Metal em sua forma mais pura. Por mais que tenham flertado com algo mais comercial a partir da segunda metade dos anos 80 – “Ride Like the Wind”, tocada no show, é um bom exemplo – é um grupo que nunca se desvirtuou. E o fato de ainda lançarem bons discos os deixa acima da grande maioria das bandas veteranas ainda na ativa.

REPERTÓRIO
Thunderbolt
Sacrifice
Wheels of Steel
Strong Arm of the Law
Denim and Leather
Battering Ram
Rainbow Theme / Frozen Rainbow
Backs to the Wall
They Played Rock and Roll
Power and the Glory
Dogs of War
Solid Ball of Rock
Ride Like the Wind
747 (Strangers in the Night)
And the Bands Played On
To Hell and Back Again
Dallas 1 PM
Crusader

Heavy Metal Thunder
Never Surrender
Motorcycle Man
Princess of the Night

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s