[Resenha] Orianthi – O

Nenhum comentário

por Clovis Roman

Lançado pela Frontiers Records, o álbum O, da guitarrista Orianthi chega ao Brasil em um versão especial da Shinigami Records. O trabalho, o sexto registro solo, veio oito anos depois de Heaven In This Hell (2012). Para os não familiarizados, Orianthi é australiana, e ficou famosa ao tocar na banda de Alice Cooper. Ela também faria a turnê de Michael Jackson, This is It, obviamente cancelada devido ao falecimento do artista pop. Dividiu palco com grandes nomes da guitarra, como Carlos Santana, Eric Clapton e Steve Vai. É um currículo invejável de uma artista que canalizou toda esta bagagem em um trabalho maduro, coeso e até certo ponto, descompromissado.

A faixa de abertura, “Contagious”, traz timbres modernos de guitarra, um ar dark e um ritmo empolgante. A melodia vocal no refrão, na parte “They try to break us, cause hate is contagious” é inacreditavelmente similar a “Gates of Babylon”, do Rainbow. Porém, é apenas uma passagem, pois a pegada de ambos os grupos é bastante diferente, obviamente. Na faixa seguinte há momentos mais introspectivos, porém ainda mantendo riffs mais sujos bastante rock and roll.

A banda de Orianthi no disco conta com o multitarefas Marti Frederiksen, famoso por ter trabalhado com inúmeros artistas renomados. Ele é o cara que compôs diversos hits do Aerosmith (incluindo “Nine Lives” e “Fly away From Here”) e produziu o álbum Just Push Play, que é um trabalho que trouxe uma dose extra de modernidade a sonoridade do grupo americano. Aqui, o cara toca, produz e compôs todas as faixas ao lado da guitarrista (com exceção de “Crawling Out of the Dark”). Para a bateria e contrabaixo, Evan Frederiksen fecha a formação.

As faixas “Blow” e “Sorry” mantém o mesmo ritmo, com esta última com uma cara mais de single, tanto que foi, de fato. Outra mais acessível é a belíssima balada “Crawling Out of the Dark”, que remete às interpretações cheias de feeling da cantora P!nk, ao mesmo tempo que evoca “Million Reasons”, de outra performer exemplar: Lady Gaga. A letra, por sua vez, é sobre um coração e alma despedaçados após o término de um relacionamento abusivo.

A excelente “Impulsive” chega para varrer a deprê da canção anterior, com um rock and roll cheio de malícia e energia, com andamento moderado e trabalho instrumental exemplar, cheio de detalhes. Não a toa é o clipe deste álbum que mais teve visualizações nas plataformas de vídeo. Mais pesada, “Streams of Consciousness” tem solos memoráveis de guitarra, um refrão lento e marcante e tem o dedo de Nikki Sixx (Motley Crue), que, ao julgar pelo estilo da letra, mais agressivo e possivelmente sobre drogas e decadência, traz sua colaboração tanto musical quanto lírica.

Uma grande sacada do álbum é mesclar canções com vibes diferentes, tornando o disco interessante a qualquer momento da audição. Cada faixa é uma pequena surpresa, o que prende a atenção do ouvinte. A dançante “Company” vem após uma faixa taciturna, outra mais despojada e uma terceira pesadona. Cheia de sintetizadores e com timbres de guitarra muito interessantes, a composição agrada.

Desacelerando o ritmo, a saideira “Moonwalker” funciona como uma espécie de fade-out para encerrar o disco. Ela começa mais ritmada, e vai ganhando contornos mais climáticos na segunda metade, como uma suave despedida de um trabalho irretocável, feito com muito esmero e com preocupação com a acessibilidade. Tudo é feito na medida, e o resultado é um álbum que pode ser ouvido dez vezes seguidas sem cansar.

Em declaração oficial para a imprensa, Orianthi comentou sobre o trabalho: “É um álbum muito inspirado, em que deixamos as coisas bem cruas. Não fiquei pensei demais. Marti e eu queríamos um som e uma vibe únicos em cada faixa, e experimentamos muito com sintetizadores e diferentes tons de guitarra. Liricamente, muito desse álbum vem da experiência de vida e das histórias de outras pessoas. Vai ser tão divertido tocar essas músicas ao vivo”, afirmou, concluindo com o sonho do retorno aos palcos. Esperamos que ela retorne ao nosso país com este repertório.

Compre o CD: https://www.lojashinigamirecords.com.br/p-9478945-Orianthi—O

Músicas

  1. Contagious
  2. Sinners Hymn
  3. Rescue Me
  4. Blow
  5. Sorry
  6. Crawling Out Of The Dark
  7. Impulsive
  8. Streams Of Consciousness
  9. Company
  10. Moonwalker

Informações: https://www.instagram.com/iamorianthi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s