[Entrevista] Crashdïet: a banda que nunca enferruja

um comentário

Em quase 20 anos de carreira, o Crashdïet saiu da Suécia e ganhou o mundo com seu Hard Rock/Sleeze melodioso e com doses exatas de peso. A banda construiu no Brasil uma sólida base de fãs, que poderá conferir a turnê do novo disco Rust em março de 2020. A turnê no país tem datas em São Paulo (27/3), Curitiba (28/3) e Rio de Janeiro (29/3), com produção da Onstage Agência.

O grupo já teve algumas mudanças de vocalistas, e o atual é Gabriel Keyes, que tem uma performance invejável em Rust, um disco pesado e inspirado, de uma banda que não apresenta qualquer sinal de cansaço, mesmo após tanto tempo de estrada. A formação é completada por Martin Sweet (guitarra), Peter London (baixo) – ambos membros originais – e pelo baterista Eric Young.

Confira mais detalhes sobre o show aqui. Abaixo, a entrevista com Eric Young.

por Clovis Roman

Foram seis anos entre The Savage Playground e Rust. O quão benéfico foi esse longo intervalo para a composição de Rust?
Eric Young: Para ser sincero, acho que todas as possibilidades que você pode ter de tirar uma folga depois de alguns anos difíceis são algo que todos podem relacionar. Isso, na minha opinião, levou a um produto muito melhor dessa vez.

A composição de Rust começou depois da entrada de Gabriel Keyes na banda, ou já havia material pronto antes disso?
Eric: Havia material pronto antes. Martin sempre tem material pronto, então foi uma parte de material já pronto e músicas novas [depois da entrada de Gabriel].

Rust me pareceu um pouco mais pesado que os anteriores, você concorda com isso? Isso foi de propósito?
Eric: Sim, eu concordo! Os sons são escritos propositalmente mais agressivamente, mas ao mesmo tempo temos baladas bastante lentas, que equilibram com essa agressividade toda.

Como a banda pretende preparar os repertórios para os shows no Brasil? Será algo mais focado em Rust ou será mais algo como um show como uma espécie de coletânea?
Eric: Com certeza uma coletânea. Queremos agradar o máximo possível, com o máximo possível de músicas de todos os álbuns.

E há planos para gravar algum disco ao vivo nesta atual turnê?
Eric: Não no momento.

A banda pegou a estrada para promover Rust em uma turnê com o Skid Row. E eu deduzo que o Skid Row é uma das principais influências da banda, não é? Quais outras bandas você poderia apontar como principais influências na música do Crashdiet?
Eric: Sim, o Skid Row é uma de nossas maiores influências, assim como Guns N’Roses, Cinderella, Pantera e outras bandas Glam Metal dos anos 80.

Lembrando a participação da banda no festival brasileiro SWU, em 2010, quando tocaram para uma multidão numa tarde ensolarada. Eu estava lá e foi um show curto mas bastante forte, na minha opinião um dos melhores daquele dia, junto com o Queens of the Stone Age. O que você se recorda daquele show?
Eric: Lembro que o Linkin Park encerrou o dia e eles ocuparam todo o nosso espaço no palco. Não foi possível colocar nada em lugar nenhum [risos]. Uma das minhas melhores lembranças deste dia foi que eu pude mostrar ao Andreas Kisser minha tatuagem do “Beneath The Remains” [álbum clássico do Sepultura, banda de Andreas].

Qual banda você acha que gravaria uma boa cover de alguma das músicas do Crashdiet?
Eric: Max Cavalera fazendo “Riot In Everyone” seria demais [risos].


Check below the interview in english:

It was 6 years between The Savage Playground and Rust. How beneficial was this long break for the composition of Rust?
To be honest, I think all possibilities you can have of taking time off after some rough years is something everybody can relate. This in my opinion led to a much better product, this time around.

Rust’s songwriting has started after Gabriel Keyes join the band or there was material ready before that?
There was material ready before. Martin always has material in stock and this was partially in stock material and new songs.

Rust seems to me to be a little bit heavier than the previous ones, do you agree with that? It was on purpose?
Yeah, I agree. The songs are on purpose written more aggressively, but at the same time we have some very slow ballads, which the can balance up to this aggressiveness.

How does the band intend to prepare the setlist of the shows in Brazil? It will be focused on Rust songs or is it will be something like a “best of” setlist ?
Best of for sure. We want to please as many as possible, with as much songs from all albums as possible.

Are there plans for the band to record a live album or a DVD in the current tour?
Not right now.

The band went on tour with Skid Row to promote Rust, and I assume that Skid Row is a main influence for the band, am I right? Which other bands could you point as main influences on the Crashdiet song?
Yes, Skid Row is one of our huge influences, as Guns n Roses, Cinderella, Pantera and other 80’s Glam Metal bands.

Regarding the participation of the band in the brazilian festival SWU, back in 2010, where the band played for a huge crowd in a sunny afternoon. I was there and it was a short but strong show – in my opinion one of the best shows that day (along with Queens of the Stone Age). What do you remember from that show?
I remember Linkin Park ended the day and they took all of our space on the stage. We couldn’t put anything anywhere. LOL One of my best memories of this day was that I got to show Andreas Kisser my Beneath The Remains tattoo.

Which band do you think that would record a good cover song of one of the Crashdiet songs?
Max Cavalera doing Riot In Everyone would be great! LOL

SERVIÇOS

Crashdïet em São Paulo
Data: 27 de março de 2020
Local: Manifesto Bar
Endereço: Rua Iguatemi, 36 – Itaim Bibi
Classificação etária: 18 anos
Ingresso: a partir de R$ 90
Venda online: ticketbrasil.com.br/show/7440-crashdiet-saopaulo-sp

Crashdïet em Curitiba
Data: 28 de março de 2020
Abertura local: Hot Foxxy
Local: Jokers
Endereço: Rua São Francisco, 164 – Centro
Classificação etária: 18 anos
Ingresso: a partir de R$ 80
Venda online: ticketbrasil.com.br/show/7441-crashdiet-curitiba-pr
Evento no facebook: www.facebook.com/events/872892606479003

Crashdïet no Rio de Janeiro
Data: 29 de março de 2020
Local: Espaço Kubrick
Endereço: Avenida Mem de Sá, 66 – Lapa
Classificação etária: 18 anos
Ingresso: a partir de R$ 90
Venda online: ticketbrasil.com.br/show/7439-crashdiet-riodejaneiro-rj

Foto de capa: Tommy Bäcklin

1 comentário em “[Entrevista] Crashdïet: a banda que nunca enferruja”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s