[Entrevista] Atração do Rock in Rio, Helloween toca em Florianópolis junto com o Scorpions

2 comentários

por Clovis Roman

Relembre nossa extensa entrevista com a banda em 2017, quando da primeira vinda deles ao Brasil com a atual formação: https://acessomusic.com.br/2017/09/18/entrevista-michael-weikath-fala-sobre-turne-especial-do-helloween-com-exclusividade-para-o-acesso-music/

O Helloween está de volta ao Brasil, dois anos após sua triunfal passagem pelo país com a atual formação, que tem sete músicos, a saber: Andi Deris (voz), Dani Löble (bateria), Sascha Gerstner (guitarra), Michael Weikath (guitarra) e Markus Grosskopf (baixo), além de dois músicos que gravaram discos legendários nos anos 80 com o grupo, Michael Kiske (voz) e Kai Hansen (guitarra e voz). O retorno dos ex-membros não removeu os integrantes que estavam na banda antes, por isso a formação aumentou. E o sonho se realizou para todos os fãs da banda, que queriam muito ver Kiske de volta ao grupo alemão, assim como Kai Hansen, um dos mentores do grupo na época dos dois discos Keeper of the Seven Keys. Todos aqui tem mérito, afinal, se a dupla gravou clássicos no passado, a atual formação veio mantendo o nome do Helloween com força com várias turnês e discos bem alicerçados.

Agora com toda essa galera reunida, a expectativa é de um novo disco de estúdio. O guitarrista e membro clássico Michael Weikath nos falou, em entrevista exclusiva, como está o andamento do vindouro álbum: “Todos estão escrevendo, compondo e juntando ideias por si só, por enquanto. Nada está pronto ainda“, explica. Sobre se há alguma pressão para ter alguma determinada sonoridade, considerando o retorno de Hansen e Kiske, ele prossegue: “Vamos apenas curtir o processo de composição, não importa se é o resultado de um único compositor ou esforço da equipe. Não se pode trabalhar sob pressão e ninguém quer se copiar. É exatamente o que sentimos, o que atinge nossa criatividade, seguimos o fluxo, nosso próprio fluxo. E isso não tem nada a ver com Kai ou Michael estarem de volta, todos trazem suas próprias idéias e serão misturadas e, no final, será uma ótima mistura. Vamos levar o nosso tempo e começar a partir de outubro“.

Uma característica dos álbuns do Helloween nas últimas décadas é de ter uma grande quantidade de músicas. Os últimos três discos contam cada um com 13 faixas e uma hora de duração cada. Sobre isso Weiki fala de maneira sincera. “Pessoalmente, eu gostaria que tivéssemos menos faixas e que a gente as refinasse mais. Eu sempre tenho problemas para ouvir e digerir álbuns muito longos“. A explicação pode ser um indício de como virá o próximo disco, ainda sem nome e data para lançamento, mas como o guitarrista comenta, nada está definido, pois “Ainda não sabemos quantas músicas teremos no disco […] estamos apenas no começo [do processo]“. Tanto que ele ainda não sabe se a música “Pumpkins United”, lançada como single em 2018, estará no disco completo: “Isso ainda não foi decidido“, complementa.

Brasil
A vinda gloriosa da banda em 2017 já é, por si só, um motivo especial para ir vê-los agora ao vivo em um dos seis shows que farão no Brasil. E o fato dessa vinda agora em 2019 ter sido inesperada também. O grupo alemão virá ao nosso país para substituir o Megadeth, que teve de cancelar toda sua agenda do ano por problema de saúde com o guitarrista, vocalista e líder da banda. “Na verdade a gente ia ter um ano de folga, para ter tempo suficiente para o novo álbum e nos concentrarmos em escrevê-lo. Isso aconteceu de maneira inesperada“, conta Weikath. Vale lembrar que justamente no dia que a banda tocar no Rock in Rio (04 de outubro), será lançado no mercado o United Alive in Madrid (Blu-ray) e United Alive (disco duplo) ao vivo. O show base será o de Madrid, na Espanha, mas haverá bônus em ambos os lançamentos de registros feitos em São Paulo, que a princípio seria o show principal desses lançamentos.

Para encerrar nosso rápido papo com o guitarrista, fizemos nossa pergunta clássica do Acesso Music: Qual banda ele acha que gravaria uma cover legal de alguma música do Helloween? E assim como nossa entrevista com ele em 2017, a resposta foi: “Judas Priest, Steel Tormentor“. E ele vai além e explica: “Uma vez sonhei que queria dar uma cópia dessa faixa para Rob Halford, mas ele estava sempre ocupado e fugia no último segundo [risos]. Desculpe, esta é apenas uma resposta bem-humorada. Eu não saberia quem se sentiria compelido a se divertir fazendo cover de alguma de nossas músicas“, conclui, gentil como sempre.

Florianópolis
Um dos shows dessa turnê acontece na capital de Santa Catarina, Florianópolis, no dia 28 de setembro (sábado), como abertura para os também alemães do Scorpions. As apresentações acontecem na Arena Petry, confira o serviço abaixo para mais detalhes. No total são seis datas da banda no Brasil.

21/09 – São Paulo/SP (com Scorpions, Whitesnake e Europe)
23/09 – Uberlândia (com Scorpions e Whitesnake)
25/09 – Brasília/DF (com Scorpions)
28/09 – Florianópolis/SC (com Scorpions)
01/10 – Porto Alegre/RS (com Scorpions e Whitesnake)
04/10 – Rio de Janeiro/RJ (Rock in Rio – com Scorpions, Iron Maiden, Sepultura, Slayer, Anthrax, Nervosa, Claustrofobia, Torture Squad)

SERVIÇO
Scorpions e Helloween em Florianópolis
Data: 28 de setembro de 2019
Local: Arena Petry
Endereço: SC-281, 4000 – São José/Grande Florianópolis
Horário: 21h
Ingressos: a partir de R$ 110 + taxas
Venda online: rockaovivo.uhuu.com

📸 (capa): Fabio Augusto Ferreira / Foggy Filmes

2 comentários em “[Entrevista] Atração do Rock in Rio, Helloween toca em Florianópolis junto com o Scorpions”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s